terça-feira, 30 de maio de 2017

desesperança

Escrevo na manhã do dia 30.05.2017, tenho 24 anos.
Esse ano não tem sido fácil, devo reconhecer. Espero que ao colocar meus pensamentos e tudo que tá se passando no meu coração eu possa tentar entender o que de fato tá acontecendo. Eu não sei, mas parece que em algum momento a vida se complicou demais pra mim e o mundo amanheceu estranho e cinza. Eu sempre tento colocar um sorriso e acreditar em justiça divina e tudo o mais. Acreditar que lá na frente esses  pontos desconexos vão se conectar de alguma forma e eu vou poder dizer: “Ah, agora tudo faz sentido.”
Entender.

Essa palavra fica ressoando o tempo todo para mim, eu parei de manjar como a vida funciona. Eu que sempre tive resposta pronta pra tudo, uma opinião formada para tudo e uma receitinha de como fazer as coisas darem certo no bolso. Hoje eu simplesmente apenas observo tudo que acontece ao meu redor com olhos indagadores. É tão desesperador perceber que não se sabe nada. E hoje eu admito, aos 24 anos, eu não sei de nada. O que mais machuca é saber que eu não sei quem sou. Durante toda a minha vida eu tentei me diminuir para tentar caber nos outros e hoje já não me reconheço mais e sinceramente acho que não sou mais passível de ser amada por algum homem.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

As vantagens de ser invísivel

-

Eu poderia falar da falta de apoio, eu poderia falar do fato que eu poderia sumir e ninguém sentiria minha ausência. Eu poderia falar do fato de não me sentir amada e reconhecida. Eu poderia falar de muitas coisas ruins que estão acontecendo.
Mas eu prefiro acreditar que isso vai passar.
Eu prefiro acreditar que você não me abandonou, só está um pouco confuso.
Eu prefiro acreditar que isso que eu tô passando vai me tornar uma pessoa melhor, mais humilde e sensível.