sexta-feira, 8 de maio de 2015

continua,

 Eu realmente sinto muito que a primeira vez em que escrevo sobre você seja para dizer isso. Eu preciso escrever, esse turbilhão de coisas que eu tô sentindo precisam ser escritas para supostamente fazerem sentido. Você me traiu, da forma mais canalha e decepcionante do mundo. Eu não entendo como continuo querendo voltar pra casa sendo sua e muito menos como continuo remoendo tudo. Li em uma postagem antiga que ás vezes corremos atrás das coisas não porque são boas e sim porque não queremos "perder". Será que você é realmente tudo isso? Realmente digno das lágrimas, do tempo desprendido esse semana, das horas de estudos que eu abdiquei essa semana para ficar chorando por você, dos intervalos do expediente do trabalho que ia ao banheiro chorar descontroladamente? Eu não me entendo, eu não entendo nada do que eu sentido, uma hora eu realmente acho que vale a pena te perdoar e tentar reconstruir os pedaços do cristal que você quebrou friamente. Em outras, no mínimo sinal de ciúmes eu sinto que nunca mais vou confiar em você. Você não fez nada, você não faz nada...Eu voltei pobremente e livremente pra você. Diz que ama, mas eu não você sequer ame ou se sinta amado por alguém. Finalmente aquela fase de chorar por tudo que deixou de ser..

Nenhum comentário:

Postar um comentário