domingo, 9 de dezembro de 2012

É como se eu gostasse tanto dele e ao mesmo tempo soubesse que nós nunca daríamos certo. E por causa disso começava a trata-lo mal, a dar mil motivos pra ele me odiar. E quanto mais ele me odiava, me desprezava mais eu gostava dele. Gostar tanto da única pessoa do mundo que não me era permitido gostar. Odeio o jeito que ele fala, o jeito que se veste, odeio suas trancinhas sujas, suas roupas velhas, seu sorriso amarelo...Odeio tudo nele!
Sexta, na festa de fim de ano, eu disse que sentia nojo dele toda vez que o olhava. Mas, sabe que eu não menti? Sinto nojo, mas não dele...sinto nojo de mim por amar tanto alguém e não saber lidar com isso. Porra, se as pessoas que sabem amar soubesse o tanto de inveja que eu tenho delas. Elas amam e sabem amar do jeito correto. Eu só amo, amo e amo. E não sei o que faço com essa bosta de amor. Quanto mais eu te amo, mas te trato mal. E sabe o que eu acho mais triste? Sabe o que doí de verdade? Saber que você não liga, não se importa.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Escrevo numa manhã quente de novembro. Com o coração cheio de coisa, a cabeça a mil por hora e uma vontade louca de escrever tudo que eu tô sentindo aqui. Eu não sei, sinto que tem um enorme fardo nas minhas costas, um fardo da obrigação das coisas darem certo. Mas sei lá, de repente eu vejo que na vida nada tem a obrigação de dar certo! Algumas coisas simplesmente não dão pé. Todo mundo me chama de imatura, de ingenua, de indefesa. E eu fico aqui me pressionando pra crescer, para tentar olha pro mundo com ar superioridade. Eu só queria sair um pouquinho, ficar só no meu cantinho.

domingo, 14 de outubro de 2012

Confesso que o verão me deixou um pouco mais calma. Um pouco mais quieta, mais realista e sobretudo mais desconfiada em relação a tudo e todos. Tô aprendendo a me valorizar, a ver que do mundo existem outras coisas..outros livros, outras pessoas, outros lugares. Depois que comecei a aceitar que o cara legal que conheci há  4 meses nunca existiu, e isso me faz perceber que não há mais nada que eu possa fazer.

domingo, 9 de setembro de 2012

Foi quando eu acordei e pude perceber que nessa vida a gente não pode contar com ninguém de verdade. E que ser sincera demais e não quero pagar de sonsa só te leva a ser banalizam. Banalizam você, banalizam sua história, banalizam seus sonhos. Foi ai que eu percebi que eu só tinhas as palavras. Aqui eu posso ser eu mesma, posso dizer o que realmente penso sem ser ridicularizada.
Sinceramente, não sinto mais nada.
O Maio se desfez facilmente, assim como veio. E assim como falei no post passado eu esqueci do meu último "affair", o cara desapareceu em menos de uma semana. Sabe que ás vezes eu realmente tenho esse poder de assustar todos?
O problema foi que eu simplesmente preenchi meu coração com outra coisa, com outro garoto como eu SEMPRE faço. Só que dessa vez foi diferente, DESSA VEZ teve entrega de verdade. Pode ser que daqui a uns dias, meses ou anos..eu leia isso aqui perceba que essa foi o PIOR rolo da minha vida ou o MELHOR. Não sei, meu coração anda mesmo tão petrificado que até as pessoas comentam minha falta de personalidade. Não sei o que sinto, não sei o que quero. Só sei que machuca ver que você é amado por todos e continuo querendo saber o motivo dos outros te amarem tanto sendo que comigo você é rude, frio e esnobe. Sabia que toda vez que eu te olhos eu te peço isso? " Me mostre seu lado bom, me mostre que o cara da primeira semana é real." Mas você sempre me decepciona. Eu rezo para que você me faça um carinho quando sento ao seu lado no carro, suplico a cada sinal vermelho..mas ai quando você o faz parece tão mecânico. Não quero você me ame assim, não quero que fique comigo assim só porque não tem mais nada pra fazer de importante. Você sabe o quando doeu depois de transarmos você sequer me olhar nos olhos? Você sabe o quando doeu espera o minimo carinho seu e o máximo que você fizer é disse Boa - Noite assim que saio do seu carro.
Hoje eu sentei ao seu lado enquanto você contava sua histórias, de como todos os seus amigos estavam ao seu lado na festa da noite passada, o quanto você foi feliz ontem. E sabe o que mais machuca? É ver que eu não tenho a mínima importância para você, é ver que com ou sem mim a sua vida continua sendo a mesma. Doi ver eu fiz tudo muito errado, me entreguei pra você na primeira semana e olha o que eu ganhei em troca: Frieza. Você só me diz Boa - Noite, como se eu fosse somente um rolinho banal pra você. Depois eu choro na sua frente, você enxuga minha lágrimas e depois me dá outra patada. Decidi te amar menos, só pra nunca deixar de te amar.
Eu nunca vou saber dizer exatamente o que me deixava tão louca por você. Eu nunca vou saber dizer porque, com você, eu consegui variar de puta a santa. Eu nunca vou saber dizer porque o simples fato de sentir o teu cheiro me fazia estremecer. Eu nunca vou saber traduzir o que era aquele beijo, o alivio que era receber uma sms tua e aquele sexo calmo e ao mesmo tempo intenso. Eu nunca vou conseguir entender o porque quando tudo estava (finalmente) bem entre a gente eu resolvi beijar o outro cara e mandar tudo pra puta que pariu. Sei que te sacaniei, sei que muito lutei pra ter o teu amor e quando o tive joguei-o no lixo.
Sabe aquele momento em que sua única vontade é dormir durante..sei lá..mil anos? Sabe quando você quer crescer, virar gente grande e para de agir por impulso. Pois é, só queria pegar tudo que eu tô sentindo..botar dentro de uma caixinha e nunca mais olhar lá dentro. Nem que isso me custe ficar vazia.

domingo, 3 de junho de 2012

Domingo, 03 de Junho. 09:46

Hoje foi a primeira vez que eu realmente senti sua falta desde que nós terminamos, verdadeiro amor. É certo, eu estar aqui sozinha martirizando essa saudade? Sinceramente, eu sou incompatível com o mundo, com essas coisas da vida. Acho que lutei demais para essas pessoas se aproximarem de mim e esqueci que o importante e elas permanecerem. Eu fico aqui lembrando os motivos para não gostar de você quase amor, pra não ficar triste porque nunca me ligou..mas parece que ele só reforçam que eu ainda penso em você.

quarta-feira, 30 de maio de 2012


Eu terminei com ele. Fiquei com outro e tomei um pé na bunda. Mas,sabe o que eu acho mais ridículo disso tudo? É que eu já sabia, é a MESMA história se repetindo. Dentro de mim, tem uma "Gabriela" que admite todos os dias que ninguém vai me amar o TANTO e da FORMA que ele me ama. Eu sei que vou esquecer Cadu, eu sei eu sei. Sei que ele daqui a um tempo vai ser só mais uma lembrança de um fica ruim, de um cara que não pagou a conta. Ainda que hoje eu ainda olhe o face, e ainda espere uma ligação dele. O diferencial, é que dessa vez eu tô tranquila. Dessa vez, eu não vou voltar correndo ligando para ele dizendo que quero voltar...dessa vez não, dessa vez vai ser só eu e eu mesma durante um tempo!
 Seja bem- vinda a inconstância de ser sozinha nessa vida!

sábado, 21 de abril de 2012

Eu sei que o problema não tá nos outros, eu sei que o problema tá em mim. Sou eu que sou inadaptável com essa cidade, com essas pessoas. Eu tento acredita que Deus ainda me quer aqui, sei que mesmo que eu não veja nem sinta e por vezes deteste absolutamente tudo na minha vida, ainda tem um grande proposito para mim nesta ilha nada cinematrógrafica. Sabia que ás vezes eu sinto vontade de voar? Ás vezes eu acho que dentro de mim existe alguém trancafiado dentro do meu corpo. Ainda tento achar o sentindo disso tudo, o sentido de eu não gostar tanto de mim.
Eu não tenho estrutura emocional para existir.

"[…] Eu tenho amigos, muitos. Eu tenho uns parentes por aí também. Mas não tem jeito, eu sou ridiculamente sozinha nessa vida…"


Sabe que ás vezes me dá vontade de me trancar dentro de uma caixinha de fósforo? Eu fico vendo a vida passar por mim, com a sensação de eu passo por ela. Eu quero nascer de novo, quero mudar tudo. Não que na minha vida eu tenha tido grande arrependimentos, é o contrário a minha vida é vazia. Eu cansei de tudo dessa cidade que não se encaixa dos meu sonhos, da minha família. Eu não me conheço, cê sabe o que isso?  - o pior é quando se toma gosto pela solidão.